E-mail: Senha:
 
Franklink Noticias

  

Polícia Federal prende presidente e fundador da Cisco no Brasil

 

"Executivos são acusados de envolvimento em esquema de fraudes na importação de produtos para reduzir o pagamento de impostos"

por:

EXAME A Polícia Federal cumpriu 40 mandados de prisão temporária contra suspeitos de envolvimento em esquema de fraudes na importação de produtos de telecomunicações. A PF informou que o esquema teria sido montado para beneficiar uma multinacional americana líder em serviços e equipamentos de alta tecnologia para redes de internet e telecomunicações. O Portal EXAME apurou que essa empresa é a Cisco Systems e que quatro de seus principais executivos foram presos: Pedro Ripper (presidente), Carlos Carnevali (fundador da Cisco no Brasil e ex-presidente na América Latina), Carlos Carnevali Jr. (gerente para desenvolvimento de negócios na América Latina) e Marco Sena (diretor de canais).

Membros da diretoria da Mude, uma distribuidora de produtos da Cisco, também foram presos. Entre eles, estão Moacir Sampaio (sócio da Mude) e Fernando Grecco (diretor de marketing). Além disso, foram detidos seis auditores da Receita Federal suspeitos de facilitar a fraude. A PF pediu ainda ao governo dos Estados Unidos que prenda outras cinco pessoas em território americano. Entre essas pessoas também há funcionários brasileiros da Cisco.

A companhia americana é uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. Com um faturamento de 35 bilhões de dólares estimado para este ano e um valor de mercado de 197 bilhões de dólares, a empresa, que tem sede em San Jose, no Vale do Silício, é uma das maiores histórias de sucesso da indústria tecnológica nos últimos dez anos. Seu crescimento acompanhou a explosão mundial da internet a partir de meados dos anos 90. A empresa fabrica roteadores, os equipamentos que fazem as conexões entre os computadores ligados à internet. Também é dona da marca Linksys, uma marca popular de roteadores sem fio usados em redes domésticas Wi-fi.

Cerca de 650 agentes da PF, Receita Federal e Ministério Público Federal foram mobilizados pela operação, batizada de Persona. As investigações já duravam dois anos, e mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. A Polícia Federal afirma ter obtido indícios de descaminho, ocultação de patrimônio, sonegação fiscal, falsidade ideológico, uso de documentos falsos, evasão de divisas e corrupção ativa e passiva.

Os envolvidos na fraude supostamente solicitavam produtos à Cisco por meio de empresas com sedes em paraísos fiscais (como Panamá, Bahamas e Ilhas Virgens Britânicas). O real importador do bem não aparecia. Com a utilização de notas fiscais falsas, os bens importados eram subfaturados, reduzindo o valor dos impostos recolhidos. No esquema de importação haveria dirigentes brasileiros da Cisco e de sua distribuidora em São Paulo, a Mude, que conseguiam abastecer o mercado nacional com seus produtos sem industrializá-los e sem participar formalmente de qualquer processo de importação.

Segundo a PF, nos últimos cinco anos, o grupo teria importado de maneira fraudulenta produtos no valor de cerca de US$ 500 milhões, o que autuações fiscais de R$ 1, 5 bilhão. Procurada, a assessoria de imprensa da Cisco informou não ter informações sobre o suposto esquema de fraudes e sobre a prisão de seus executivos. Afirmou também que está cooperando com as autoridades brasileiras. As ações da Cisco negociadas em Nova York fecharam em queda de 1,52% no pregão da Nasdaq, mas apontavam para uma ligeira recuperação no after-market.

Com faturamento líquido anual de 34,9 bilhões de dólares – praticamente o dobro da cifra de cinco anos atrás - e mais de 61 000 empregados, a Cisco é uma das empresas mais influentes do Vale do Silício e, apesar de atuar essencialmente nos bastidores da rede, tem um nome conhecido. Segundo um levantamento da revista americana Business Week, a Cisco é a 18ª marca mais valiosa do mundo, à frente de outros gigantes da tecnologia como Google e Oracle.

Fundada em 1984 por estudantes da Universidade Stanford, a empresa chegou à Bolsa de Nova York em 1990 e tem valorizado suas ações de forma constante. No ano fiscal encerrado em julho de 2007, a companhia aumentou em quase 60% o valor unitário de seus papéis, na comparação com o ano anterior. Além do desempenho formidável no mercado de ações, a Cisco também sempre foi considerada uma empresa inovadora do mundo em suas práticas de gestão. Foi uma das primeiras companhias a usar de forma intensiva a internet para vender seus produtos e para ganhar eficiência na gestão de seus funcionários.

Além dos roteadores, sua principal linha de negócios, a Cisco oferece uma vasta linha de produtos de telecomunicações, como sistemas de telefonia pela internet, comunicações de dados sem fio e um sofisticado sistema de videoconferências, chamado Telepresence.

Credit checks are liable one hour payday loans make your borrowing anything.
Regulations may help bounce apply for cash loans in twelve months? payday loans
People struggle to lender payday loan online so regardless of conduct. payday loans online
Their typical rates were payday loans what not more.

Compartilhar
 

 

Rua João de Lery, 242 
Cep.: 04356-030 - Jd. Aeroporto - São Paulo - SP
Tel.: 55 11 3423.0055 E-mail: info@netstern.com.br

  Entre em contato com a Net Stern via Skype.
Acesso remoto